Estado desiste de bancar R$ 70 mi no Itaquerão e arquibancada fica na conta do Corinthians

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação Odebrecht

    Itaquerão tem mais de 50% de obras prontas, mas saída do Estado pode complicar o projeto

    Itaquerão tem mais de 50% de obras prontas, mas saída do Estado pode complicar o projeto

Veja Também

O Governo do Estado de São Paulo desistiu de bancar a construção da arquibancada móvel do Itaquerão, o estádio corintiano que será a sede da abertura da Copa do Mundo de 2014. Em parceria com o poder público, o clube agora vai ter de buscar no mercado um patrocínio privado que banque os R$ 70 milhões necessários para garantir a capacidade total de 68 mil pessoas.

"São Paulo já vai ter de arcar com a recepção de 32 chefes de estado, segurança, transporte, alojamento e festas", disse Luis Paulo Rosemberg, diretor de marketing do Corinthians, à coluna da jornalista Sonia Racy, de O Estado de S. Paulo.

A informação é uma mudança importante no planejamento financeiro do estádio. O apoio do Estado de São Paulo foi fundamental para que o Comitê Organizador da Copa de 2014 aprovasse o Itaquerão. Sem as arquibancadas móveis, o Corinthians não conseguiria atingir a capacidade exigida pela Fifa para um jogo de abertura.

O problema ficou ainda maior nos últimos meses, quando o clube passou a contar com um auxílio ainda maior do governo Alckmin. Apesar do poder público negar a informação, o Corinthians esperava que os políticos pagassem R$ 50 milhões em estruturas de recepção exigidas pela Fifa, como camarotes de imprensa e um grande centro de imprensa. 

As obras do Itaquerão
As obras do Itaquerão

Últimas de Copa do Mundo 2014



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos