Mano aprova quarteto com Hulk e quer testes mais fortes para formação sem centroavante

Bruno Freitas e Pedro Ivo Almeida
Do UOL, em Recife (PE)

  • Antonio Lacerda / EFE

    Mano Menezes, técnico da seleção brasileira, se prepara para o amistoso Brasil x China

    Mano Menezes, técnico da seleção brasileira, se prepara para o amistoso Brasil x China

Veja Também

A seleção brasileira conseguiu o melhor desempenho ofensivo dos últimos tempos na goleada por 8 a 0 sobre a China. Mais do que o placar dilatado, Mano Menezes celebrou principalmente o bom entendimento do quarteto de frente, formado por Oscar, Lucas, Neymar e Hulk. No entanto, o treinador declarou que espera por testes mais fortes para se apegar definitivamente à formação sem um centroavante convencional.

Hulk entrou na vaga que até o último jogo era de Leandro Damião, um centroavante que costuma atuar mais preso entre os zagueiros. Por sua vez, o novo atacante do Zenit atuou da maneira que está acostumado na Europa, deslocado pela direita.

Lucas mudou de lado em relação à rotina no São Paulo, caindo pela esquerda. Por sua vez, Neymar ficou mais adiantado pelo meio, mas se deslocando à procura de tabelas e abrindo o setor para infiltração de companheiros.

Por fim, a formação de frente embalou na vitória em Recife graças à atuação de Oscar, flutuando pelos setores e procurando tabela com os demais integrantes do ataque. O meia do Chelsea foi o principal destaque da partida.  

"Mudamos a última linha. Tivemos sucesso, com mais movimentação, tem que respeitar isso. Mas precisamos ser testados contra adversários de outras características  que nos imponham um grau de dificuldade maior. Mas fazer bem feito novamente", comentou o treinador.

Dos oito gols sobre os chineses, Neymar foi responsável por três, sendo dois com assistências de Oscar. Lucas e Hulk marcaram um cada. O meia do Chelsea também anotou de pênalti.

Mano elogiou a atuação de Hulk, sua novidade para o jogo: "O desempenho dele vem comprovando que existe mérito dele de vestir a seleção. Inclusive tenho sido muito criticado por isso [por estar convocando o atleta]. Não fui eu quem convocou o Hulk pela primeira vez, foi o Dunga lá atras. Vamos dar continuidade maior para ele".

A seleção volta a campo já na próxima semana, quando enfrenta a Argentina em Goiânia no jogo de ida do Superclássico das Américas. Para este compromisso, Mano Menezes só pode contar com jogadores que atuam no país. Por isso, o treinador não terá Oscar e Hulk e precisará adiar o novo teste da formação de frente.

Na lista divulgada logo após a vitória sobre a China, Mano anunciou a relação de atacantes com Luís Fabiano e Wellington Nem. Neymar e Leandro Damião também foram convocados. 

VEJA OS MELHORES MOMENTOS DA GOLEADA DO BRASIL SOBRE A CHINA

Últimas de Copa do Mundo 2014



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos