Copa de 2014 terá música-tema em português e prioridade para artistas de patrocinador da Fifa

Paulo Passos
Do UOL, em São Paulo

Veja Também

Palco dos maiores jogadores de futebol do planeta, a Copa do Mundo é também um evento único para os patrocinadores da Fifa divulgarem as suas marcas. Assim será no Brasil em 2014. Integrante do seleto grupo dos seis parceiros mais importantes da Fifa, a Sony pretende aproveitar o evento para apresentar os artistas da sua gravadora. Cantores e bandas da empresa, como Arlindo Cruz, Vanessa da Mata, Roberto Carlos, Alexandre Pires, Skank, Jota Quest e Zezé Di Camargo & Luciano, são os mais cotados para estarem na abertura do evento.

O "REI" NA COPA?

  • Principal estrela da Sony Music no Brasil, Roberto Carlos seria um nome ideal para estar no show de abertura, segundo o presidente da gravadora. "Em se tratando do Rei seria uma ótima ideia. Resta saber se ele vai topar se apresentar num estádio", disse Alexandre Schiavo.

    A reportagem do UOL Esporte tentou contato com o empresário de Roberto Carlos, Dody Sirena. Por meio de sua assessoria de imprensa, ele afirmou que ainda não há nenhuma negociação para que o cantor esteja em eventos da Copa.

A Sony já trabalha com a definição dos nomes para a música-tema da Copa e para a série de shows que ocorrerão na abertura e nos Fan Fests, áreas de lazer com telões instalados para os torcedores assistirem as partidas. Inspirados no que diz ser um "case" de sucesso, a música Waka Waka, da colombiana Shakira, na edição de 2010, na África do Sul, a empresa japonesa definirá qual será a trilha do Mundial no Brasil.

"O Waka Waka foi um sucesso mundial. A gente espera repetir isso e fazer algo até maior. Claro que sendo no Brasil, a música será em português e algo bem brasileiro. Tem que ser uma música divertida, com ritmos daqui. Mais do que isso é do processo criativo do artista. Eu não posso falar", disse Alexandre Schiavo, presidente da Sony Music no Brasil, em entrevista ao UOL Esporte.

Por contrato, a Sony tem a prioridade para definir os artistas que tocarão na abertura da Copa e que terão músicas incluídas na trilha oficial do evento. A empresa é patrocinadora da Fifa desde 2007. Os valores do contrato não são divulgados pelas partes, mas no mercado se estima que a empresa pague mais de R$ 80 milhões por ano para a dona da Copa.
 

O Mundial de 2010 foi o primeiro depois do acordo entre Sony e Fifa. Além do Waka Waka, o torneio teve outras músicas oficiais como a Wavin' Flag, do rapper somali naturalizado canadense K'naan. Foi na África do Sul que a Fifa estreou o conceito de festa com shows um dia antes da abertura oficial. Com Shakira, Black Eyed Peas, John Legend e artistas locais, a entidade organizou um concerto no estádio do Orlando Pirates, em Soweto.

Quatro anos antes, na Alemanha, a Fifa tentou fazer um evento parecido, mas acabou abortando a ideia cinco meses antes do torneio começar por causa da baixa procura por ingressos. 

No Brasil, a Sony conta com 29 artistas.  Schiavo não descarta que um novo nome seja contratado até lá pela gravadora e entre na "escalação" para o Mundial. "São coisas do mercado, pode acontecer", admite.

Se a Copa do Mundo fosse hoje, Claudia Leite e Ivete Sangalo, por exemplo, estariam fora tanto do show de abertura quanto do disco de músicas do evento. Leite deixou a Sony Music em dezembro de 2011 e foi para a Som Livre. Já Sangalo é artista da Universal Music.  

A Sony trabalha com um calendário já acertado para a definição dos nomes de artistas. Seis meses antes do torneio, que começa em junho de 2014, a entidade terá os cantores e bandas definidos tanto para o show de abertura quanto para a trilha sonora.

Assim como aconteceu na África do Sul, a gravadora espera trazer estrelas internacionais para o Brasil. Apesar de apostar em músicas e artistas locais, a empresa acredita que precisa de grandes estrelas para aumentar o interesse tanto do público brasileiro quanto dos estrangeiros. A Sony Music possui mais de uma centena de artistas de estilos musicais variados na sua lista de contratados em todo o mundo. Entre eles, Bob Dylan, Shakira, Foo Figthers, Ricky Martin e Mariah Carey.

"É muito mais difícil levar um grande show para a África do que para o Brasil. Claro que teremos grandes nomes aqui também. Nosso país virou objeto de desejo das principais turnês", diz Schiavo.

Veja também



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos