Governo garante entrega de seis estádios para Copa das Confederações

Maurício Savarese
Do UOL, em Brasília

  • Divulgação

    Em obras, estádio do Maracanã deve ser usado da Copa das Confederações no ano que vem

    Em obras, estádio do Maracanã deve ser usado da Copa das Confederações no ano que vem

Veja Também

No terceiro balanço das obras para a Copa do Mundo de 2014, o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, garantiu nesta quarta-feira (23) que serão entregues seis estádios para a Copa das Confederações do ano que vem, incluindo empreendimentos colocados em dúvida, como as arenas de Salvador e de Recife. De acordo com ele, os 12 palcos para jogos do mundial estão sendo construídos "dentro do cronograma e em tempo".

"Serão seis", insistiu o ministro. Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília e Fortaleza já estão garantidas na competição teste da Fifa. Os governos da Bahia e de Pernambuco querem entregar suas arenas antes de junho do ano que vem para também abrigarem a competição, mas o atraso no início das obras nesses lugares gera dúvidas entre os organizadores sobre se o risco se justifica. Os dados foram compilados até o fim de abril.

Ao lado de ministros de áreas responsáveis por obras de infraestrutura, Aldo afirmou que "a maioria dos empreendimentos" será entregue em 2013, embora muitas das obras de mobilidade urbana mal tenham começado. Os membros do governo afirmaram que alguns dos atrasos se deve a problemas ambientais, questionamentos do Ministério Público, reassentamento de moradores e dificuldades na elaboração de projetos.

Ainda segundo o balanço, oito dos 12 estádios da Copa não têm 50% das obras concluídas. Curitiba tem o maior atraso: apenas 11% de obras executadas. O Beira-Rio, de Porto Alegre, concluiu 20% do total. O governo informou também que 45% das obras de mobilidade urbana não começaram. "Isso é natural, os desembolsos maiores acontecem no final e não tememos que haja atraso", disse a ministra do Planejamento, Miriam Belchior.

Pela estimativa do governo, apesar dos atrasos, todos os empreendimentos serão entregues para a Copa do Mundo. A maioria das obras (52%) ficará pronta em 2013. Em 2011 foram entregues 10% dos empreendimentos, em 2012 ficarão prontos 22% das obras. No ano da Copa, em 2014, serão entregues 16% dos empreendimentos, de acordo com o governo.

Cobranças

Na terça-feira (23), o presidente da Fifa, Joseph Blatter, retomou as cobranças às autoridades brasileiras. Afirmou que "a sexta maior economia do mundo tem ativos e sabe o que precisa fazer, mas não está fazendo o trabalho em tempo". A entidade esportiva e o governo se digladiam nos bastidores por conta das exigências para o Mundial no Brasil.  Aldo minimizou a nova cobrança. "Todos os impasses de natureza técnica foram superados."

A dois anos do início da Copa, o governo ainda tem de iniciar muitas obras. Questionado sobre se é necessário um acontecimento extraordinário para que isso aconteça, Aldo respondeu: "Não vamos precisar de milagre, os santos podem se ocupar de outras causas. A estatítisca do que já foi usado não explica. Ela mostra tudo, menos o essencial". A ministra do Planejamento afirmou que os recursos estão garantidos mesmo no caso de mais atrasos.

O volume de investimentos previstos para obras relativas à Copa do Mundo não mudou: R$ 27,1 bilhões. Parte desse investimento, como o UOL adiantou, será feito na infraestrutura de telecomunicações 4G. "Isso vai existir em todas as 12 capitais da Copa", disse.

Obras para a Copa de 2014
Obras para a Copa de 2014

Últimas de Copa do Mundo 2014



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos