Saiba o que o jornalista da France Football achou do texto falso sobre Copa

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Capa da revista France Football, publicada no final de janeiro, e que possui um texto falso no Facebook

    Capa da revista France Football, publicada no final de janeiro, e que possui um texto falso no Facebook

Veja Também

O jornalista francês Éric Frosio, de 36 anos, se surpreendeu ao saber que uma reportagem que havia escrito sobre a Copa do Mundo no Brasil para a publicação francesa France Football estava sendo compartilhada por centenas de milhares de brasileiros na internet. Não demorou muito, porém, para Frosio se decepcionar ao notar que o texto que estava sendo compartilhado não tinha nada a ver com aquele que ele tinha produzido.

Uma falsa versão do texto, que cita frases atribuídas de forma errada à revista francesa e que, supostamente, mostram problemas do Brasil, teve mais de 200 mil compartilhamentos no Facebook. "Fiquei surpreso e chateado. Usaram a credibilidade da revista para passar ideias erradas, coisas que não escrevemos", disse Frosio ao UOL Esporte. "Acredito que tenham feito isso com o objetivo de atacar as políticas da presidente Dilma Rousseff, que tentará a reeleição."

Frosio está há seis anos no Brasil e diz que sempre morou no Rio de Janeiro. A reportagem que ele escreveu para a France Football, com os jornalistas Éric Champel e François Verdenet, com o título "Medo sobre o Mundial", é crítica com relação à Copa. Levanta problemas de segurança, ao citar que a polícia não foi capaz de evitar que o Papa Francisco fosse cercado por uma multidão em sua visita ao Rio, em julho de 2013, fala sobre alta nos preços e problemas na execução das obras dos estádios. 

O texto falso que circula no Facebook, por sua vez, cita problemas de saúde pública, transporte e até de ataques incendiários a ônibus que não foram abordados pela publicação francesa. O texto falso ainda atribuiu à revista comentários feitos sobre Romário e Tiririca que não foram publicados. "Já até escrevi sobre Tiririca, mas alguns anos atrás. Também já entrevistei o Romário, por quem tenho muito respeito. Gosto do trabalho dele na política", disse Frosio, lembrando que não utilizou essas informações no artigo da France Football.

Com relação à percepção que os estrangeiros têm do Brasil, o jornalista acredita que a violência seja o assunto mais lembrado. "Nas outras Copas que cobri, na Alemanha, na França, a gente fica com a ideia de que é só diversão, futebol e alegria. Aqui também vai ter isso, mas a violência estará presente", afirma o repórter. "Essa é a primeira pergunta que me fazem sobre o Brasil: 'É violento? É perigoso?' Achava que isso estava mudando. Mas esse ano, principalmente no Rio, parece ter voltado."

A segunda maior preocupação dos turistas estrangeiros, ainda segundo Frosio, são os altos preços de acomodação e passagens aéreas. Apesar de não concordar com a publicação do texto falso, o jornalista francês concorda que os atrasos nas obras eram previsíveis. "O que me surpreenderia seria ver um país mais profissional. Achei que o país ia aproveitar a oportunidade para melhorar a vida do povo. Mas o resultado não me surpreende."

CRIADOR DE POST DIZ QUE NÃO LEU REVISTA

  • Reprodução

    O jornalista Luís Suriani, de 56 anos, é o responsável por um dos posts atribuídos à France Football no Facebook que gerou grande repercussão nas redes sociais. A publicação teve mais de 100 mil compartilhamentos. Mas o próprio autor admite que não traduziu a reportagem publicada pela revista. "Não traduzi. Peguei coisas que já estava guardando sobre a Copa e fiz aquele texto. Não achei que ia bombar tanto." Suriani gosta de polêmicas. Ele diz manter mais de um perfil no Facebook para mostrar suas idéias. Em geral, o número de compartilhamentos passa de mil, segundo o jornalista.

Notícias relacionadas



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos