Torcedores com ingresso mais caro da final ganham assentos ruins e detonam a Fifa

Bruno Freitas e Vinicius Konchinski
Do UOL, em Fortaleza e no Rio de Janeiro

  • Bruno Freitas/UOL

    Torcedores que pagaram R$ 418 na entrada da final ficarão longe do gramado do Maracanã

    Torcedores que pagaram R$ 418 na entrada da final ficarão longe do gramado do Maracanã

Veja Também

Diria uma famosa campanha publicitária, de uma grande companhia que já foi ligada à Fifa, que assistir à final da Copa das Confederações no Maracanã não tem preço. Para um grupo de amigos do Rio de Janeiro, no entanto, o sonho futebolístico saiu por R$ 418. Mas os planos de curtirem juntos a decisão no melhor setor do estádio acabaram virando frustração, com a desagradável surpresa de assentos separados e, pior, em seções pouco favorecidas da arena.

O quarteto de amigos combinou a compra pela internet, individualmente, escolhendo o setor mais caro para a oportunidade histórica no novo Maracanã. Mas, no momento de retirada dos bilhetes, a turma descobriu que cada um havia sido direcionado para um canto do estádio, em assentos distantes do gramado e, consequentemente, com uma vista pior.

"Somente depois de efetuar a compra descobrimos que o sistema escolhia aleatoriamente os assentos, que só são informados no momento da retirada dos ingressos. Assim sendo, só pode sentar junto quem fez a compra no mesmo CPF e no mesmo cartão de crédito. Resultado: quatro amigos querem se reunir para ver uma final de campeonato juntos, e estamos cada um em um canto do estádio. Causa estranheza esse fato, pois hoje em dia, em qualquer cinema ou teatro de 'beira de estrada', o consumidor escolhe onde vai sentar", diz João Paulo Fernandes, proprietário de uma agência de turismo.

Na retirada, João Paulo soube que havia sido direcionado para o setor 221, na diagonal em relação a um dos gols do Maracanã e bem no alto da nova arquibancada do estádio. Outro colega, por exemplo, ganhou um assento na zona 3, na região central, mas bem distante do gramado. 

"A localização de nós todos é pífia, pagamos o ingresso mais caro, para nem de longe termos o melhor lugar. A minha localização, por exemplo, é no nível 3, fileira T. Já fui no Maracanã reformado duas vezes e sei que isso é bem distante do gramado. Estou considerando até levar um binóculo para ver o jogo. Conheço pessoas que pagaram R$28,50 pelo ingresso e têm um lugar melhor. Como uma coisa dessas pode acontecer?", afirma Pedro Tavares, analista de sistema.

VEJA ONDE VAI SENTAR QUEM COMPROU O INGRESSO MAIS CARO DA FINAL

  • Montagem mostra onde vão sentar os amigos que compraram os ingressos mais caros para a final da Copa das Confederações. Fifa diz que escolha de assentos é automática.

De acordo com os amigos, o problema do caos na definição de assentos atingiu outras pessoas que compraram ingressos para a Copa das Confederações.

"Uma das coisas que mais vi acontecer na retirada de ingresso foi casal que chegava para retirar e via que não estava junto. Muitos se revoltavam, gritavam e saiam transtornados. Outro incômodo relacionado a isso, no nosso caso, que compramos um ingresso caro, é que se quiséssemos assistir ao jogo juntos, algum de nós teria que passar R$ 1.672 no cartão, uma quantia elevada", relata Pedro Tavares.

Procurada pela reportagem do UOL Esporte, a Fifa afirmou que as condições para a venda e retirada dos ingressos foram divulgadas no seu site. Segundo a entidade, todos os torcedores que adquiriram uma entrada foram informados desde o início do processo de compra das condições e do regulamento dos ingressos.

 

A Fifa informou ainda que a posição dos assentos de cada ingressos é atribuída automaticamente. "Na hora da compra, o sistema automática e imediatamente indica um a um os melhores assentos disponíveis dentro da categoria escolhida. Compreendemos que para os brasileiros, a prática de lugares pré-determinados é uma experiência nova. No entanto, e como as categorias têm delimitações físicas umas com as outras, inevitavelmente alguém que comprou um ingresso de uma categoria mais cara se sentará perto de alguém com ingressos mais baratos", respondeu a entidade.

Dentro do grupo de torcedores frustrados relatado no caso acima, houve quem pensasse em desistir da compra diante dos contratempos mencionados. Mas, mesmo nessa opção, não encontraram um caminho de facilidade na burocracia oficial do consumidor Fifa.  

"Após eu informar que desta forma não tinha mais o interesse em assistir ao jogo, nestas condições, a entidade me fez uma proposta: coloque o seu ingresso à venda em nosso site e, em caso de compra, 10% será direcionado à Fifa. Realmente, era tudo que eu precisava ouvir de uma entidade que se diz tão séria", comenta Henrique Chiara, consultor comercial.

AO CONTRÁRIO DO QUE DIZ DILMA, UNIÃO PÕE R$ 1,1 BILHÃO EM ESTÁDIOS

  • Daniel Marenco/Folhapress

    Ao contrário do que afirmou a presidente da República, Dilma Rousseff, em pronunciamento na sexta-feira, há sim dinheiro federal em obras de estádios da Copa de 2014. E não é pouco. Somados os incentivos fiscais, subsídios em empréstimos e até participação em arenas, a União já comprometeu cerca de R$ 1,1 bilhão com os locais para jogos do Mundial.

Notícias relacionadas



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos