Inflação da Copa: acredite, estão pedindo R$ 120 mil de aluguel em Itaquera

Felipe Pereira
Do UOL, em São Paulo

Veja Também

O cabeleireiro Rodrigo Eduardo Mamel planeja ganhar uma boa grana durante a Copa do Mundo. Para isso, vai "desalojar" a mãe por um mês e alugar o apartamento na região do Itaquerão, estádio da abertura do Mundial. E ele sonha alto. Quer embolsar R$ 120 mil para deixar o imóvel um mês na mão de estranhos.

O valor pedido por Mamel assusta, mas não é um caso isolado. O UOL Esporte apurou que perto do estádio do Corinthians moradores estão querendo R$ 50 mil, R$ 60 mil ou R$ 100 mil para alugarem suas casas ou apartamentos no mês da Copa do Mundo. Para efeito de comparação, uma casa em estilo colonial de 300 metros quadrados, de frente para o mar e com piscina em Maresias, litoral paulista, custa R$ 27 mil ao mês em plena temporada.

Mamel promete justificar o valor com um tratamento VIP e uma longa lista de serviços. O pacote inclui motorista para levar e buscar os torcedores no estádio nos dias dos jogos, além de salão de beleza e bebidas. A geladeira será abastecida com o que o turista desejar: uísque, cerveja, tequila, vodca, Amarula, vinho, refrigerante ou água. Haverá ainda cozinheira, intérprete, frigobar nos quartos e guloseimas.

O cabeleireiro planeja investir R$ 35 mil no apartamento da mãe para os inquilinos encontrarem tudo cheirando a novo. "Comprei geladeira, camas, TVs, frigobar, toalha e agora só falta pintar", fala exultante. Em caso de negócio fechado, os hóspedes terão um apartamento padrão de três quartos, com sala, cozinha e uma pequena área de serviço equipada com máquina de lavar roupa.

Mamel também afirma que estará a disposição dos hóspedes por 31 dias. "Se forem gringos ainda vou fazer caipira para eles". O cabeleireiro nem se importa em perder a Copa do Mundo. Conta que as últimas atuações da seleção fizeram o encanto desaparecer e que o retorno com a renúncia ao Mundial compensa. Ele e boa parte da vizinhança do Itaquerão acredita que vai conseguir uma Copa vitoriosa antes mesmo de a bola rolar. 

  • Arte UOL

 

Sonho grande

O autônomo Thiago Costa Chaves, 28 anos, está no mesmo barco e tem uma pretensão um pouco mais modesta. Por isso fixou em R$ 38 mil o aluguel do sobrado em que mora, perto do Itaquerão, durante o mês da Copa do Mundo. A ideia nasceu ao ler uma reportagem sobre sul-africanos que alugaram a própria casa em 2010. Já o técnico de transporte Arnaldo Gonçalves, 49 anos, está confiante que vai receber R$ 65 mil pelo apartamento de dois quartos e 56 metros quadrados.

 

Estas propostas estão fora da realidade, de acordo com profissionais do setor imobiliário de São Paulo. "O pessoal está sonhando", afirma Marcelo de Jesus Fernandes, corretor da Almar Imóveis, especializada na região. Ele conta que tem cerca de 50 imóveis para alugar durante o torneio por valores de até R$ 15 mil e que até agora não apareceu nenhum interessado.

 

A avaliação pouco otimista dos especialistas não abala os vizinhos do estádio que vai receber a abertura da Copa. Tanta certeza se baseia na atração que Zona Leste de São Paulo terá durante a Copa e por a região não contar com hotéis. Questionado se o valor não é caro, Arnaldo Gonçalves defende que R$ 65 mil é um valor razoável.

 

Ele acredita que com a aproximação da competição os preços de aluguel para o evento vão subir ainda mais. O técnico de transporte se anima ao dizer que recebeu até uma sondagem. Uma pessoa respondeu o anúncio na internet e queria confirmar os valores e a descrição do imóvel.

 

Arnaldo diz que um sinal de 50% garante o imóvel, mas as negociações não haviam progredido. É bom que o otimismo dele se confirme porque o plano para este ano era casar. Foi preciso convencer a noiva a alugar o apartamento reformado há três meses e nunca usado pelo casal.

A pesquisa pelo salão e o buffet estavam em curso quando Arnaldo teve a ideia de colocar o apartamento para alugar. No começo houve resistência, mas argumentos financeiros foram eficientes para convencer a noiva. "Ela não estava a fim, mas na hora que falei que com o dinheiro quitaríamos o saldo devedor, abraçou a ideia".

 

Na opinião do corretor e proprietário da Morumbi Imobiliária, Gilberto Benfer, o casal não deveria ter atrasado a cerimônia. Especialista em imóveis de alto padrão, ele diz que não há mercado para pagar tanto pela infraestrutura oferecida. Ressalta que por R$ 50 mil é possível alugar uma cobertura de alto padrão na Vila Olímpia com 400 metros quadrados, quatro suítes e piscina particular.

 

Benfer afirma que este público não ficará restrito a um local porque tem dinheiro para viajar a outras sedes da Copa do Mundo. Logo, ficar hospedado numa região longe de aeroportos não combina.

 

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em São Paulo, Bruno Omori, diz que o setor terá vagas na Copa. Ele ressalta que por R$ 50 mil dá para pagar um hotel 5 estrelas com mordomo.

 

Alugar a própria casa ou quartos é um costume na África do Sul, sede do último Mundial. A diferença foram os preço cobrados naquela ocasião. Acomodação com café da cama incluído saia por R$ 173 ao dia, ou cerca de R$ 5,2 mil ao mês.

 

Além da diferença de preço, falta infraestrutura em Itaquera, afirma Marcelo de Jesus Fernandes. Ele cita a inexistência de bons restaurantes, opções de lazer e serviços. Ressalta ainda a desproporção dos aluguéis de Copa com o preços dos imóveis no bairro. Um apartamento com as mesmas características saí entre R$ 1 mil e R$ 1,2 mil.

 

Marcelo revela que foi procurado por quase uma centena de proprietários oferecendo imóveis para alugar na Copa e só fechou parceria com aqueles que pediram entre R$ 10 mil e R$ 15 mil. "Tem uns apartamentos que estão pedindo muito caro, R$ 50 mil, R$ 100 mil, mas nem pego". Na avaliação do corretor, pessoas que locam imóveis para um evento se planejam com antecedência e se houvesse demanda o interesse teria ocorrido nos últimos meses de 2013.

Obras no Itaquerão
Obras no Itaquerão

Notícias relacionadas



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos