Oswaldo se diz 'pronto' para assumir seleção e reprova estrangeiro

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Fabio Braga/Folhapress

    Oswaldo de Oliveira não escondeu o desejo de substituir o técnico Luiz Felipe Scolari

    Oswaldo de Oliveira não escondeu o desejo de substituir o técnico Luiz Felipe Scolari

O técnico Oswaldo de Oliveira se colocou à disposição para assumir o comando da seleção brasileira na vaga do técnico Luiz Felipe Scolari, que deixou o cargo após a Copa do Mundo de 2014. O treinador disse que está "pronto" para o desafio e, inclusive, expôs sua opinião sobre a contratação de um treinador estrangeiro.

Para Oswaldo de Oliveira, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) precisa ponderar a escolha de um treinador de outro país, principalmente por causa de possíveis problemas de adaptação.

"Trabalho no Santos, um dos melhores clubes do brasil. Se vier convocação, estou pronto para responder. Sobre estrangeiro, uma coisa que CBF (Confederação Brasileira de Futebol) tem que ver com muito cuidado. Transcende minha opinião. Claro que preferiria um brasileiro. Existe todo um envolvimento no caso de nós contarmos com estrangeiro. Questão de adaptação, de uma série de coisas que tem que ser levado em consideração", afirmou Oswaldo.

Apesar de não esconder o desejo de assumir a seleção brasileira, Oswaldo de Oliveira pediu uma reformulação na estrutura técnica da CBF e também na formação de jogadores. Além disso, o técnico santista ressaltou que o sistema educacional do Brasil influencia no futebol e, por isso, precisar ser aprimorado.

"Além de reformular a estrutura técnica da CBF, precisamos reestruturar muita coisa fora de campo e na formação dos jogadores. Não só no âmbito futebolístico, mas na sociedade. Fica claro que os países que se desenvolveram mais no futebol são países com o sistema educacional com evolução pedagógica. Pessoas são formadas não só pra jogar futebol, o que acontece como consequência. Os EUA têm mostrado muita evolução, o Japão é um exemplo, presente nas últimas cinco Copas. Isso num momento que o futebol passa a não depender só do craque, mas do coletivo jogado por grandes jogadores é o que mostra que vai comandar. Não pode um só definir. Se tiver cinco de bom nível e outros bons, formando conceito coletivo, você tem muita chance de se sair bem", comentou.

Oswaldo de Oliveira já confessou no início deste ano que recusou a seleção brasileira. O momento citado pelo treinador foi em 2000. Oswaldo havia acabado de conquistar o título mundial pelo Corinthians e depois se transferiu para o Vasco. Ele não deixou claro em que momento do ano recebeu o convite, mas na época, a seleção brasileira vivia um momento muito conturbado, com a demissão de Vanderlei Luxemburgo após o fracasso nos Jogos Olímpicos.

De forma lacônica, Oswaldo declarou que não se arrepende de ter recusado a seleção brasileira naquela época.

A Confederação Brasileira de Futebol oficializou a saída de Luiz Felipe Scolari e de sua comissão técnica do comando da seleção nesta semana. Em seu site oficial, a entidade divulgou uma nota confirmando que eles estão deixando a equipe.

"O Scolari e toda a sua comissão técnica merecem o nosso respeito e agradecimento. Eles foram responsáveis por devolver ao povo brasileiro o seu amor pela seleção, mesmo não tendo conseguido o nosso objetivo maior", disse à CBF em nota.

Além de Felipão, Carlos Alberto Parreira, coordenador técnico, Flávio Murtosa, auxiliar, Carlos Pracidelli, preparador de goleiros, e Anselmo Sbragia, preparador físico, também deixam seus cargos. Todos esses tinham ligação direta com o treinador.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos