Mascherano fica rouco em todos os jogos. É o preço por liderar a Argentina

Do UOL, em São Paulo

Ele não tem a habilidade nem o poder de decisão de Messi, mas a liderança de Mascherano na Argentina é indiscutível. O volante pede a palavra nas preleções, grita o jogo todo com seus companheiros e deixa o campo sem voz. Foi assim durante toda a Copa na caminhada até a final deste domingo, contra a Alemanha, no Maracanã.

O camisa 14 começa as partidas falando alto e termina rouco. "Não é pelas comemorações. Fico sem voz pelo que grito durante os jogos", comentou o volante ao La Nación.

Na semifinal, antes da disputa por pênaltis contra a Holanda, a conversa de Mascherano com Romero ganhou destaque. Ele disse que o goleiro seria o herói da classificação e acertou. Mas as palavras de incentivo do volante já viraram uma rotina para a Argentina antes das outras partidas.

Contra a Bélgica, por exemplo, nas quartas de final, Mascherano caprichou no discurso pré-jogo. Como a Argentina não passava dessa fase desde 1990, com Masc presente nas eliminações de 2006 e 2010, ele foi bem direto com seus companheiros.

"Digo isso para todos vocês: estou cansado de comer merda, quero felicidade para todos que torcem por nós e para todo mundo. Vamos lá jogar a partida de nossas vidas", disse Mascherano, em discurso publicado e republicado por diversos jornais argentinos que, não à toa, definem o volante como o capitão sem faixa.

Nesta sexta-feira, Mascherano foi indicado entre os dez jogadores que brigam pelo prêmio de melhor jogador da Copa, disputando com os compatriotas Messi e Di María, os alemães Müller, Hummels, Lahm e Toni Kroos, Neymar, o holandês Robben e o colombiano James Rodríguez.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos