Copa 2018

Gabriel Jesus x Rashford: brasileiro leva a melhor no duelo das revelações

Andre Penner/AP e Carl Recine/Reuters
Imagem: Andre Penner/AP e Carl Recine/Reuters

Caio Carrieri e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Londres (Inglaterra)

13/11/2017 04h00

Gabriel Jesus e Marcus Rashford ainda desfrutavam da liberdade de andar respectivamente pelas ruas de São Paulo e Manchester sem assédio por selfies na última vez que Brasil e Inglaterra se enfrentaram (2 a 2), em junho de 2013, na reabertura do Maracanã, após as obras para a Copa do Mundo do ano seguinte.

O brasileiro, na época com 16 anos, e o inglês, aos 15, amadureciam nas categorias de base do Palmeiras e do Manchester United com o sonho de se tornarem profissionais. Desde então, a ascensão meteórica de ambos os colocou não só como rivais pelos clubes de Manchester, mas entre as principais revelações recentes dos países que se reencontram em amistoso na noite desta terça-feira, em Wembley, em Londres – às 20h do horário local (às 18h do horário de Brasília).

A dupla já é recompensada pelo ótimo início de carreira profissional e foi indicada neste ano para o prêmio Golden Boy, votação realizada pelo jornal italiano Tuttosport para escolher o melhor jogador sub-21 do futebol europeu. Mbappé, atacante de 18 anos e parceiro de Neymar no PSG, levou a melhor desta vez.

Os dois já se enfrentaram uma vez, mas por pouquíssimo tempo. Em abril deste ano, Gabriel voltou de fratura no pé direito no clássico de Manchester, no estádio Etihad, e entrou aos 41 minutos do segundo tempo. Titular, Rashford foi substituído nos acréscimos do dérbi que terminou sem gols.

Lucas Figueiredo/CBF
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Mesmo naturalmente à sombra de Sérgio Agüero no Manchester City, Jesus chega ao jogo desta semana com melhores números em comparação com o colega de posição 212 dias mais novo e que se mostrou iluminado em estreias com gols no Campeonato Inglês, na Liga dos Campeões, na Liga Europa, na Copa da Liga e no debute pela seleção inglesa.

No seu primeiro ano de Premier League, o pupilo de Pep Guardiola precisou de menos da metade dos jogos e minutos de Rashford para alcançar mais bolas na rede. São 14 gols em 1254 minutos jogados em 20 partidas contra 13 tentos em 3264 minutos em 54 apresentações do colega pelo Manchester United.

Titular absoluto de José Mourinho e quem mais atuou com o português na temporada passada (53 partidas), o menino de Whythenshawe, no sul de Manchester, contou com a sorte para ter a primeira oportunidade no lado vermelho da cidade.

Em fevereiro de 2016, o holandês Louis van Gaal sofria com série de lesões dos homens de frente do time. Com a inesperada baixa de Anthony Martial no aquecimento no Old Trafford para o início do mata-mata da Liga Europa diante do Midtjylland, da Dinamarca, Rashford ganhou a tão esperada chance e retribuiu em grande estilo: dois gols na goleada por 5 a 1. A dobradinha se repetiu três dias depois na primeira aparição na Premier League, já com um clássico pela frente. O Arsenal viu a joia do rival ser decisivo no 3 a 2 em Manchester.

John Sibley/Reuters
Imagem: John Sibley/Reuters

Criado na base do United, que já moldou nomes consagrados como David Beckham, Ryan Giggs e Paul Scholes, Rashford é considerado por analistas ingleses a maior promessa do futebol local desde Wayne Rooney, este criado no Everton. O jogador franzino divide as atenções com Del Alli, meia do Tottenham um ano mais velho que puxa a lista dos oito ingleses lesionados para o amistoso.

Com a ausência do goleador Harry Kane, Rashford deve divdir com Jamie Vardy a responsabilidade de ser a principal esperança do técnico Gareth Southgate para vazar Alisson. Enquanto só o imponderável tirará de Gabriel Jesus o posto de 9 do Brasil na Copa da Rússia, a joia inglesa briga pela titularidade. Ele ostentou uma vaga entre os 11 nas três partidas derradeiras das eliminatórias europeias, com direito a gol no triunfo por 2 a 1 sobre a Eslováquia, em Wembley, na antepenúltima partida do torneio classificatório.

Embora prefira atuar como centroavante, Rashford tem jogado mais pelos lados tanto no United quanto na seleção. No clube, Romelu Lukaku é a referência ofensiva na atual temporada e Zlatan Ibrahimovic, que se recupera de lesão, era na campanha anterior. Na equipe nacional, o posto é de Kane, um dos diversos desfalques nesta terça.

As estatísticas dos dois pelas seleções apresentam vantagem ainda maior para Gabriel Jesus pelo Brasil do que o retrospecto pelo clube. São oito gols em 12 partidas do brasileiro contra apenas dois tentos em 14 apresentações pelo selecionado europeu. O brasileiro larga na frente, e Tite agradece.?

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Copa 2018

Topo