RJ aprova Lei da Copa para o Estado, libera bebida em estádios e veta meia-entrada

Renan Rodrigues
Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Renan Rodrigues/UOL

    Manifestantes protestam na Assembleia antes de votação de Lei da Copa do RJ

    Manifestantes protestam na Assembleia antes de votação de Lei da Copa do RJ

Veja Também

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro aprovou nesta quarta-feira o projeto de lei que adequá o Estado às exigências da Fifa para a realização da Copa das Confederações em 2013 e Copa do Mundo em 2014.

PRIVADO POR R$ 7 MILHÕES POR ANO

  • Ministério do Esporte/Portal da Copa

    O governo do Rio de Janeiro divulgou as primeiras informações sobre o processo de privatização do Maracanã. A administração do estádio será repassada à iniciativa privada no ano que vem, antes da reinauguração da arena. Pela concessão, o Estado ganhará cerca de R$ 7 milhões por ano.

O texto foi aprovado por 33 votos a favor e 16 contra. Ele libera a comercialização de bebidas alcoólicas em estádios durante a Copa, veta descontos em ingressos para estudantes e idosos e dá à Fifa prioridade para definição de publicidade no entorno do Maracanã. 

Agora, a redação final será encaminhada para sanção do governador Sérgio Cabral. Alguns pontos que já haviam sido discutidos também entraram na lei, como inclusão das barcas no sistema de transporte para os portadores de ingressos, férias escolares no período dos jogos e o envio de demonstrativos de custos com segurança nos locais de competição, transporte público e isenção de taxas à comissão de Orçamento da Casa.

Manifestantes contrários à privatização do Maracanã e demolição da Escola Municipal Friedenreich acompanharam a votação e vaiaram cada deputado favorável à lei, levando inclusive faixas e buzinas para dentro das galerias do plenário. Perto do final da sessão, os representantes foram convidados a se retirar por supostamente estarem atrapalhando o andamento da votação. A deputada estadual Clarissa Garotinho (PR) defendeu a causa dos que protestaram.

"Temos que defender o Maracanã, o Museu do Índio e a escola Friedenreich. A Fifa não pode chegar e ignorar questões que são contempladas no Campeonato Carioca e no Campeonato Brasileiro. A autonomia do Maracanã e do Estado está sendo desrespeitada. O Maracanã é do povo", discursou no plenário.

Apesar dos protestos da oposição, o projeto de lei sofreu uma única alteração em sua votação na Assembleia. Foi incluída na lei o direito deficientes comprarem ingressos da categoria 4 com desconto.

Líder da bancada governista, o deputado André Correa (PSD) fez um discurso favorável aos compromissos assumidos pelo governo quando manifestou intenção de receber a Copa. Ele foi muito vaiado pelos presentes.

"Temos muito orgulho de ter trazido para cá não apenas a copa, mas as Olimpíadas, fruto da capacidade de gestão do governador Sérgio Cabral. Além disso, compromisso tem que ser cumprido. Esses compromissos que temos que cumprir agora. Essa escola será reconstruída, assim como os complexos esportivos", disse.

Obras da Copa
Obras da Copa

Últimas de Copa do Mundo 2014



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos