Impacto ambiental da Copa será equivalente a consumo anual de energia em Santos, diz estudo

Do UOL, em São Paulo

  • Ministério do Esporte/Divulgação

    Rio de Janeiro, que acelera as obras do Maracanã, está entre as cidades que mais emitirão gases

    Rio de Janeiro, que acelera as obras do Maracanã, está entre as cidades que mais emitirão gases

Veja Também

Segundo estudo de uma consultoria que trata de impactos ambientais, para que o Brasil receba a Copa do Mundo em 2014 serão emitidos 11,1 milhões de toneladas de CO2e, gás carbônico equivalente, medida para calcular os gases do efeito estufa. A quantidade é igual ao consumo de energia de 181 mil domicílios, suficiente para iluminar um município do tamanho de Santos durante um ano.

Essas 11,1 milhões de toneladas emitidas se referem apenas às obras de preparação para o Mundial. Durante o torneio, que demora cerca de um mês, o consumo será de 3 milhões de toneladas de CO2e, o mesmo que cerca de 49 mil domicílios consomem em energia durante 12 meses.

O Estudo de Impacto de Emissões em CO2 Equivalente da Copa 2014, da consultoria Personal CO2Zero, indica que o transporte aéreo será o maior agente de emissão durante a Copa, sendo responsável por 60% dos gases.

A redução da emissão de gases geradores do efeito estufa pode ser convertida em créditos de carbono. O relatório da Personal CO2Zero aponta que seria necessário um investimento de US$ 18,5 milhões por parte da Fifa para neutralizar o evento, considerando um crédito de carbono do mercado voluntário ao custo de US$ 5.

"As emissões que não forem passíveis de redução devem ser neutralizadas por meio de apoio a projetos geradores de créditos de carbono", comentou Daniel Machado, executivo da empresa de consultoria.

Em junho, a Fifa anunciou que investirá US$ 20 milhões para que o Mundial no Brasil seja sustentável. "Isso indica consciência da entidade sobre os impactos da realização do evento, mas o ideal ainda seria reduzir as emissões na origem, e não neutralizá-las posteriormente",observou Machado.  

São Paulo, Salvador, Natal e Rio de Janeiro respondem por 56,7% das emissões estimadas, considerando a construção de estádios e investimentos em infraestrutura (mobilidade e aeroportos).

Últimas de Copa do Mundo 2014



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos