COL altera contrato, Marin vira sócio e pode ficar com lucros da Copa, diz jornal

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Ricardo Moraes

    José Maria Marin assumiu o comando da CBF e do Comitê Organizador da Copa em março

    José Maria Marin assumiu o comando da CBF e do Comitê Organizador da Copa em março

Veja Também

O Comitê Organizador Local da Copa de 2014 (COL) teve o seu contrato social alterado após a saída de Ricardo Teixeira, ex-presidente do órgão. O atual mandatário, José Maria Marin, agora tem 0,01% da participação societária do COL, segundo revelou o jornal Lance! nesta quarta-feira. Os outros 99,99% estão com a CBF, que é presidida pelo cartola.

O contrato segue os mesmos moldes do modelo do que foi redigido em 2010, ainda com Teixeira na presidência. Por ser sócio, Marin terá poder para definir o destino dos lucros do comitê responsável pela organização da Copa do Mundo de 2014.

"O parágrafo 1º da cláusula 17ª (do contrato social do COL) concede aos sócios o poder de dar o destino que desejarem aos lucros anuais, ao fim de cada exercício, ou depositá-los em uma conta para posterior distribuição. Já o parágrafo 2º da cláusula 17ª permite aos sócios distribuírem lucro líquido e dividendos semestralmente e/ou por períodos menores", revela o Lance!.

Marin assumiu o posto de presidente da CBF e do COL em março deste ano, após Ricardo Teixeira renunciar ao cargo. Envolvido em denúncias de corrupção no Brasil, na organização do amistoso da seleção brasileiro, e na Suíça, onde foi condenado por receber subornos, Teixeira abandonou a CBF e foi morar em Miami, nos Estados Unidos. Mesmo de longe, o cartola segue recebendo salário de R$ 100 mil para prestar assessoria à CBF.

José Maria Marin, presidente da CBF
José Maria Marin, presidente da CBF

Últimas de Copa do Mundo 2014



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos