Torneio do Itaquerão tem Ruim Madrid x Barcelama, regra contra contusão e transmissão ao vivo

Luiza Oliveira
Do UOL, em São Paulo

  • Leandro Moraes/UOL

    Operários treinam para o Brasileirinho na quadra recém-inaugurada no Itaquerão de grama cinza

    Operários treinam para o Brasileirinho na quadra recém-inaugurada no Itaquerão de grama cinza

Veja Também

O campeonato começa em maio com cobertura da imprensa, árbitro profissional e 40 times brigando pelo troféu que só será entregue em uma festa no fim do ano. Não, não estamos falando do Brasileirão. É o Brasileirinho, torneio dos operários da obra do Itaquerão que tem regras inusitadas, clássico espanhol e até transmissão ao vivo.

  • Divulgação

    Ruim Madrid está distante do clube que o inspirou, mas é um dos favoritos para vencer o Brasileirinho

A competição começa no próximo dia 21, segunda-feira, dois dias depois do certame nacional para não 'disputar mídia', segundo os organizadores. Apesar do tom de brincadeira, as partidas vão atrair microfones de verdade e a estreia será transmitidas ao vivo pela Rádio Estádio, que funciona internamente na obra.

A inspiração vem do Brasileirão, mas tem pinta de torneio europeu com um clássico espanhol. O Ruim Madrid e o Barcelama estão em grupos diferentes, mas podem se enfrentar já na segunda fase e estão cotados entre os favoritos. "Respeitamos os adversários, mas vamos entrar para ganhar", conta o atacante dos 'merengues genéricos' Eliaquim Silva, que incorporou não só o espírito artilheiro de Cristiano Ronaldo, mas também o vocabulário boleiro.

A segunda edição do Brasileirinho está turbinada. Realizado com 16 times no ano passado, o torneio tem agora nada menos que 40 equipes com média de 12 jogadores, sendo seis titulares. São quase 500 participantes que, até o mês de novembro, ganharão nova motivação para trabalhar na construção do estádio que abrigará a abertura da Copa do Mundo e será casa do Corinthians.

ENTENDA A FÓRMULA DE DISPUTA

1ª fase – O campeonato é dividido em dois grupos A e B formados por 20 times. Todos as equipes se enfrentam dentro de suas chaves. Ao final, quatro de cada grupo serão eliminados.

2 ª fase – Os16 restantes de cada grupo se enfrentam em jogo único definido por 'cruzamento olímpico': Ex: 1º do A x 16º do B, 2º do A x 15º do B

3ª fase – Também no formato mata-mata. Dos 16 times classificados, os oito melhores colocados se enfrentam e os 8 piores colocados também jogam entre si. O mesmo acontece na 4ª fase, restando assim apenas quatro times

5ª fase – As semifinais serão disputadas normalmente em cruzamento olímpico. Os vencedores fazem a grande final. Os derrotados se enfrentam na disputa de terceiro e quarto lugar.

E o trabalho é sempre prioridade. As quatro partidas diárias serão disputadas de segunda a sexta entre 18h e 20h justamente para atender os três turnos. Existem até regras 'anticontusão' para ninguém ser vetado pelo DM e virar desfalque na obra por causa da pelada.

Foi pensando nisso que o organizador do torneio e gerente operacional, Frederico Barbosa, criou algumas leis inusitadas. Além dos tradicionais cartões amarelos e vermelhos, o cartão azul também será usado como punição para uma falta grave que não mereça expulsão. Quem for penalizado, ficará alguns minutos fora do jogo e doará 3 kg de alimentos não-perecíveis, repassados a uma instituição carente no fim do ano.

Se o Campeonato Brasileiro tem o STJD, na versão operária não poderia faltar um tribunal. Uma comissão de cinco pessoas avaliará os casos de deslealdade e pode banir do torneio o atleta mais indisciplinado. Barbosa também promete palestras de conscientização.

"No ano passado, eu sorteei os times. Dessa vez eles têm liberdade para escolher. Assim vão criar mais grupos e panelinhas, e a rivalidade será acirrada. Quando tem bola e o árbitro apita, todo mundo quer ganhar. Por isso, vou conversar com todos eles e criar alguns mecanismos para que não haja deslealdade. O nosso objetivo é apenas integrar e divertir", afirmou.

E se é tão levado a sério pelos jogadores, a organização não fica atrás. O Brasileirinho terá arquibancada para 200 pessoas, roupeiro e lavanderia, refletores já em fase de teste, súmula e até árbitro profissional. Cinco juízes da Federação Paulista de Futebol e cinco mesários vão se revezar para não deixar passar nenhum detalhe.

O troféu já está sendo confecccionado e deverá ficar exposto na quadra para despertar o desejo de todos os atletas. Sairá de lá apenas para ser entregue na festa de fim de ano, juntamente com as medalhas de 2º e 3º colocados.

As obras do Itaquerão
As obras do Itaquerão

A estreia também promete ser com pompa. Os organizadores vão divulgar o nome da quadra, escolhido por votação entre os funcionários e mantido sob sigilo em 'sete chaves', e uma celebridade foi convidada para dar o pontapé inicial. Uma apresentação de chorinho com a música Brasileirinho, de Waldir Azevedo, dará as boas vindas à competição que ganhará um charme extra com apresentações de futebol feminino.

Não é à toa que a quadra recém-inaugurada já está em plena atividade. Desde o mês passado, os atletas ocupam a grama cinza – não é verde para não fazer alusão ao rival Palmeiras, nos amistosos preparatórios e existe fila por um horário vago. Assim como o Brasileirão, o Brasileirinho promete.

GALÁCTICOS, RONALDOS, RENEGADOS: OS 40 TIMES DO BRASILEIRINHO

GRUPO A

Os Ferraduras

Força Azul

Ruim Madrid

Engeterra

Topografia

Intermediário

Barra 20

Grua FC

Equipe Noite

Engenharia União do Piauí

Noite Equipe

Sangue Bom

Os Galácticos

Turma da Noite

Marteleteiros

Futebol Leste

Real Nordeste FC

Unidos FC

Os Ronaldos

Renegados I FC
GRUPO B

Barcelama FC

Furacão FC

Gaviões

Cimento Louco

Expressinho Odebrecht

Só Nós sem Eles

Hidráulica

Cintura de Mola

Sanfona Loca Sait

Barra 10

Guerreiros da Noite

11 Garotos

Bate Gooool

Ibecon

Tabajara/Obecon

Babaçu FTC

Paulista FC

Falcão Bauer

Engenheiros de Itaquera

Renegados II FC

Últimas de Copa do Mundo 2014



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos