Consórcio Odebrecht recebe mais R$ 73 mi para construção da Arena Pernambuco

Roberto Pereira de Souza
Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Obras na Arena Pernambuco, em ritmo acelerado para tentar sediar a Copa das Confederações em 2013

    Obras na Arena Pernambuco, em ritmo acelerado para tentar sediar a Copa das Confederações em 2013

O consórcio Arena Pernambuco formado pela construtora Odebrecht e Odebrecht Participações e Investimentos conseguiu o repasse de mais R$ 73 milhões de empréstimo junto ao BNDES. A parcela faz parte do pacote de R$ 280 milhões aprovado pelo banco estatal  para financiar a construção ou reforma de estádios para a Copa 2014 (até o limite de R$ 400 milhões).

A Arena Pernambuco  deve custar R$ 532 milhões. Ao final das obras, o consórcio vai explorar a arena em concessão pelo prazo de 33 anos, incluindo o período de construção.

A exemplo do que vem tentando fazer para a construção do Itaquerão, a construtora montou uma sociedade de fins específicos (SPE). As duas empresa do grupo (construtora e Odebrecht Participações e Investimentos) respondem por essa sociedade específica.

No caso do Corinthians, foi formado um fundo de investimento (imobiliário) sob a responsabilidade do Banco do Brasil. Os principais cotistas desse fundo são a construtora e o próprio banco.

Além do fundo, há ainda a necessidade do uso de uma corretora que deverá vender os certificados de incentivo a investimentos, emitidos pela Prefeitura de São Paulo, com valor de face de R$ 420 milhões.

O maior problema para a assinatura do contrato de financiamento junto ao BNDES,  no caso do estádio do Corinthians, é a oferta de garantias.

Sem caixa suficiente, a construtora já pediu no mercado  comum (com juros maiores) o segundo empréstimo para garantir o cronograma das obras. O Itaquerão deve custar R$ 820 milhões, fora os assentos removíveis, a reinstalação dos dutos da Petrobras e as taxas bancárias.

Obras no Itaquerão
Obras no Itaquerão

 



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos